Benefícios que os pets trazem para as crianças

Confira algumas dicas para um convívio harmonioso

Por Marisa De Lucia

Quem tem um pet em casa sabe a alegria que é conviver com estes seres tão especiais e o bem que eles fazem para a nossa vida.

Studio portrait of girl holding dog

Mas e para as crianças? Você sabe todos os benefícios que um animalzinho de estimação pode trazer para elas?

De acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de Melbourne, na Austrália, as crianças que tiveram algum tipo de animal até a idade de cinco anos, posteriormente, se tornaram mais resistentes a algumas doenças.

Isto porque, segundo os pesquisadores, o fato de respirar o pó de casinhas de cachorros e até pelos de gatos, desencadeia no organismo uma proteção natural contra o vírus RSV, responsável por diversas infecções e problemas respiratórios.

Quanto aos benefícios que os animais podem trazer às crianças, estes são inúmeros. Confira alguns deles:

Ter mais responsabilidade

O convívio com o animal de estimação faz com que a criança tenha mais responsabilidade. Para isso, peça para ela ajudar a cuidar da limpeza, alimentação e habitat do pet, e também a medicá-lo, quando for necessário.

Aprender a lidar com sentimentos

A convivência com animais de estimação também favorece o desenvolvimento do vínculo afetivo, fazendo com que a criança aprenda a lidar com a frustração, alegria, dor e até mesmo com a morte.

Se relacionar melhor com as pessoas

Convivendo com o pet, a criança aprende a se relacionar melhor com as outras pessoas, pois desenvolve sua capacidade de observação e compreensão e, também, de dar carinho e respeito.

Exercitar-se

Como os cães necessitam de caminhadas diárias, as crianças são estimuladas a caminhar, passear e a brincar com eles fazendo, assim, exercícios físicos.

Melhorar sua saúde

Hoje, as terapias com animais já são comuns, pois promovem não só melhoras físicas como emocionais. Essas terapias têm sido indicadas para pessoas cegas, surdas, autistas e portadoras de Síndrome de Down e de distúrbios comportamentais, entre outras.

Então, é tudo de bom, não é mesmo?

Mas lembre-se de tomar certos cuidados como manter seu pet limpo, vacinado e vermifugado, e deixar bem claro para as crianças que elas não devem puxar o rabo, beliscar e nem bater nele.

É preciso, também, ficar atento quando a criança estiver brincando com o pet e nunca deixá-la sozinha em algum ambiente com ele.

Anúncios

Os pets também podem ter problemas no coração

Procure sempre fazer os exames de rotina para prevenção

Por Marisa De Lucia

Da mesma forma que os seres humanos sofrem de doenças do coração, os pets também correm esse risco. De acordo com dados, um em cada dez cães pode se tornar cardiopata.

cachorro-doente01

A fase mais comum para surgir problema no coração dos animaizinhos é quando eles estão se tornando idosos, o que ocorre entre 6 e 8 anos para cães de grande porte e 11 e 13 anos para cães de raça pequena.

No entanto, cães e gatos podem sofrer de outras cardiopatias que podem ser detectadas quando ainda são jovens, sem contar as doenças congênitas, ou seja, quando o animal já nasce com alterações cardíacas.

Doenças cardíacas mais comuns nos cães

Nos cães, as doenças mais comuns são a fibrose da válvula mitral e a cardiomiopatia dilatada

A fibrose da válvula mitral ocorre quando a válvula mitral começa a enfraquecer, impedindo a passagem do sangue para o ventrículo esquerdo, de onde ele é levado para as artérias.

Já a cardiomiopatia dilatada ocorre quando o músculo cardíaco está fino, enfraquecido, e não se contrai corretamente.

Sintomas de doenças cardíacas em cães

Os cães que apresentam doença cardíaca podem ter apatia, redução de apetite, dificuldades respiratórias, tosse, por conta do aumento de líquido nos pulmões, aumento do volume abdominal, cansaço fácil, gengivas de cor pálida e língua arroxeada.

Alguns cães podem ter até desmaios. Contudo, cabe alertar, que estes sintomas podem ser, também, referentes a outras doenças.

Doenças cardíacas mais comuns nos gatos

Já os gatos, diferentemente dos cães, apresentam, principalmente, a cardiomiopatia hipertrófica e o tromboembolismo.

A cardiomiopatia hipertrófica ocorre quando a câmara inferior esquerda do coração, chamada de ventrículo esquerdo, se espessa e se enrijece, não permitindo que o átrio esquerdo se encha de sangue.

O tromboembolismo é causado por um coágulo de sangue que bloqueia o fluxo sanguíneo para as pernas traseiras. Os gatos com esta doença, geralmente, apresentam fraqueza ou paralisia total nos membros posteriores.

Parasitoses cardíacas

Outras doenças muito comuns são parasitoses cardíacas como a dirofilariose, mais comum nos cães, e encontrada nos animais que vivem próximo ao litoral.

Para evitar que seu pet contraia essa doença, antes de viajar para o litoral, você deve levá-lo ao médico veterinário, o qual deverá indicar alguns medicamentos preventivos. Já os animais que vivem no litoral devem ser tratados constantemente contra estes tipos de parasitoses.

Sintomas de doenças cardíacas em gatos

Nos gatos que têm doença cardíaca, os sintomas aparecem subitamente. Os mais comuns são cansaço fácil ou, ainda, fraqueza ou impossibilidade repentina de se locomover com as patas traseiras.

Procure ficar atento a qualquer alteração em seu pet e lembre-se de consultar um médico veterinário e sempre fazer os exames de rotina para prevenção.