Como evitar o estresse do seu pet nas festas de Natal e Réveillon

Dicas para que você e eles possam ter uma noite tranquila

Por Marisa De Lucia

Todo ano é a mesma coisa! Muito barulho de fogos e nossos pets amedrontados.

natal-pets

Muitas pessoas nem mesmo saem para não deixá-los sozinhos, preferindo preparar a ceia do Natal e do Réveillon em suas casas.

Embora aqui em São Paulo, a exemplo da Avenida Paulista, e em algumas cidades como Florianópolis algumas medidas tenham sido tomadas para minimizar o barulho e evitar o sofrimento deles, com certeza, ainda teremos problemas!

Por isso, seguem algumas dicas para que a sua passagem de ano seja tranquila com seus pets.

  • Nas festas com muito convidados, é fundamental ficar atento ao que oferecem para ele lambiscar e também a objetos que normalmente acabam caindo ao chão. Nesta época, registra-se um número maior de ingestão de corpos estranhos como enfeites, embalagens plásticas e palitos, entre outros.
  • Na ceia de Ano Novo é comum ter alimentos gordurosos e muito temperados, que podem causar alterações gastrointestinais como vômito, diarreia e até pancreatite, que é uma doença potencialmente grave. Intoxicações causadas por chocolate também aumentam nesta época do ano.
  • O barulho dos fogos de artifício, de muitas pessoas conversando e de música em volume muito alto podem deixá-lo muito assustado e ao tentar fugir ou se esconder por proteção, ele pode se machucar gravemente. Alguns podem até mesmo atacar algum convidado como defesa.
  • Pets com doenças crônicas do coração, pulmão e cerebrais podem ter falta de ar ou até convulsões, precisando ser socorridos imediatamente.
  • Muitos “amiguinhos”, principalmente os filhotes, costumam ingerir ou se ferir acidentalmente com os enfeites da árvore de Natal, como bolinhas, elásticos e até mesmo papéis de presente, que podem gerar obstrução ou perfuração no sistema digestivo.
  • Os cuidados com filhotes devem ser redobrados, pois eles que gostam de mastigar fios e podem tomar choques graves.
  • Se for passar o Réveillon fora da sua cidade e quer levar seu pet no carro, não tem problema, mas é preciso tomar algumas precauções como deixá-lo em jejum por pelo menos duas horas antes da viagem e em viagens longas fazer paradas para que o animal possa fazer suas necessidades e beber água. E lembre-se: nunca deixe seu pet fechado no carro.

O ideal é evitar levar seu pet em festas agitadas. Procure deixá-lo em um local da casa seguro, com pouco barulho, sem objetos ou mobília que possam machucá-lo no caso de tentar se esconder por medo dos barulhos dos fogos de artifícios, por exemplo.

Dessa forma, com certeza, ele passará uma noite tranquila e entrará em 2015 bem relax!

E você poderá aproveitar a festa até o final, sem preocupações.

Feliz 2019!!!

Anúncios

Como escolher roupinhas para o seu pet

Será que elas servem só para enfeitar ou eles precisam mesmo?

Por Marisa De Lucia

Quem tem pets sabe quanto estes seres especiais se assemelham ao ser humano e, por isso, também precisam de cuidados especiais.

pets-roupas

Muitas pessoas tratam seus pets como crianças e até mesmo as roupinhas já entraram para a lista de compras deles. Mas será que os pets precisam mesmo usar roupinhas ou elas só servem para enfeitá-los?

Nem todo mundo sabe, mas muitos pets precisam sim se proteger do frio e a necessidade difere de acordo com a pelagem e a gordura do animalzinho. Os cães são mais fáceis de aceitar as roupinhas do que os gatos, que são mais ariscos, e aconselha a não contrariar o “amiguinho” para que ele não se sinta incomodado.

Cães como os akitas e os huskies siberianos, provenientes de locais gelados, já possuem pelagem apropriada para enfrentar climas frios e, por isso, sofrem com climas quentes. Estes não precisam de roupas, tanto que muitos não gostam de ficar vestidos.

Mas para quem ama enfeitar seu pet, a boa notícia é que, assim como para os humanos, são confeccionadas também roupinhas leves para o Verão e de todos os modelos e cores para deixar nosso pet ainda mais lindo. O ideal é ficarmos sempre atentos à temperatura ambiente, pois assim como não gostamos de passar calor com muita roupa, nossos pets também não gostam.

Quanto ao tamanho e à qualidade das roupinhas, deve-se levar em conta não só a beleza da roupinha, mas se ela é confortável para o tamanho de seu pet, se é feita com tecidos apropriados para a estação do ano e, ainda, se tem abertura adequada para não interferir quando o animalzinho faz suas necessidades fisiológicas.

Já para os pets que têm infecções de pele o cuidado deve ser bem maior, por isso, não é indicado colocar a roupinha sem antes observar todos esses detalhes e, claro, qualquer dúvida peça ajuda ao seu veterinário. No caso de animais alérgicos, temos que ficar atentos aos seguintes sintomas como vermelhidão, coceira, crostas e até mesmo um simples desconforto que, sem dúvida, deixará o animalzinho desassossegado.

Outra observação muito importante é que alguns cãezinhos, ao utilizarem roupinhas por muito tempo, ficam com os pelos embolados, sendo necessária a tosa total ou uma escovação que pode judiar deles. Por isso, é fundamental tirar sua roupinha pelo menos uma vez por dia e escovar bem para evitar que os pelos fiquem embaraçados.

O É o Bicho trabalha com roupinhas de qualidade e uma variedade incrível de modelos e cores para todas as estações do ano e até para datas especiais.

Vale a pena passar lá e conferir!