Cuidados que devem ser tomados antes de adotar um pet!

O cão ou o gato vive, em média, de 12 a 15 anos e dependerá de você durante toda sua vida.

Por Marisa De Lucia

Ter um pet em casa não significa apenas ter ao lado um companheiro leal, carinhoso e que nos faz sentir amados e tranquilos, mesmo quando estamos passando por problemas.

Young woman cuddling with her dog

Ter um “amiguinho” em casa é, antes de tudo, um benefício para nossa saúde física e emocional. Pesquisas realizadas em diversos países comprovam que o contato com um animalzinho de estimação faz baixar as taxas de colesterol, triglicérides e a pressão arterial. Quer coisa melhor?

Mas antes de trazer para casa um animal de estimação é necessário pensar em todos os detalhes para sua acomodação, além, é claro, de ter consciência de que alguns deles como, por exemplo, os gatos e os cães, podem viver até 15 anos e serão totalmente dependentes de você, precisando muito de seus cuidados.

Então, para que a convivência com o animalzinho seja harmoniosa para todos, seguem aí algumas dicas:

Em primeiro lugar, veja se todos que moram no local onde ele vai viver concordam em ter um animalzinho. Depois, verifique se há recursos necessários para manter o pet, pois ele vai precisar de vacinas, ração, eventuais cuidados veterinários e, algumas vezes, de medicamentos. Além, é claro, de acessórios para sua acomodação e brincadeiras!

Germany, Bavaria, Munich, Mid adult woman with cat on couch, smiling

Nossos “amiguinhos” precisam passear para gastar energias e não ficarem estressados. Você ou alguém da casa terá tempo para levá-lo passear? E nas férias e feriados prolongados? Você terá condições de levá-lo junto? Tem quem possa ficar com ele? Se não tiver, deverá se programar para os eventuais gastos.

Ao optar por um filhote, não se esqueça que ele vai crescer e precisar de muito espaço. E quando ainda pequenos costumam ser bastante estabanados podendo danificar objetos pela casa.

E na hora dele fazer as necessidades? É bom já ficar combinado quem vai se responsabilizar pela limpeza do local. É preciso, também, limpar as calçadas durante o passeio diário, pois a legislação prevê multas para quem deixar a calçada suja. Outra obrigação para se pensar!

Outra dica: os cachorros são mais carentes e exigem a presença do dono. Já os gatos são também muito carinhosos, mas podem passar mais tempo sozinhos, pois são mais independentes.

Enfim, procure fazer a escolha certa e responsável. Afinal é uma aquisição para a vida toda… do “amiguinho”!

Anúncios

Como escolher enfeites para seus pets!

Confira os cuidados a serem tomados e as variedades

Por Marisa De Lucia

Quem gosta de ver seu pet todo arrumadinho, com certeza, não abre mão dos lacinhos, gravatas, coleiras, bandanas, bonés e muitos outros enfeites de todas as cores e até com pérolas e strass, disponíveis hoje no mercado.

gato-casa12

Afinal, a cada dia surge uma nova opção para deixar nosso pet ainda mais lindo!

Contudo, não podemos exagerar no uso desses enfeites, não só por conta do visual, mas para que eles não incomodem o “amiguinho”.

Assim como as roupinhas e os acessórios, os enfeites que colocamos em nosso pet devem ser próprios para animais, com tecido adequado para não causar alergias.

O modo de prender também deve ser observado, para que não puxe seus pelos e o machuque.

Certifique-se, também, que as partes pequenas, como botões e peças destacáveis, estejam bem presas, para que elas não se soltem facilmente ou que sejam arrancadas e engolida por eles, trazendo riscos desnecessários.

As correntes e coleiras devem ser do tamanho adequado ao pescoço do animal, e não muito pesadas, pois podem incomodar e até trazer problemas de coluna para pets de pequeno porte.

Por isso, todo cuidado é pouco para deixá-lo ainda mais lindo!

O que fazer ao encontrar um gatinho órfão

Para que ele fique protegido e sobreviva

Por Marisa De Lucia

Muitas vezes encontramos algum gatinho abandonado e não sabemos o que fazer para ajudá-lo, não é mesmo?

gatinho-filhote4

Mesmo porque os gatos adotam alguns comportamentos diferenciados que nem todos conhecem ou sabem o porquê.

Como primeiras medidas, você deve lavar bem as mãos antes e depois de pegar nele e procurar mantê-lo em lugar aquecido.

Para limpá-lo, use um pano úmido aquecido e passe sobre os pelos dele com movimentos curtos.

Medidas essenciais a serem tomadas:

Por exemplo, logo após o nascimento a gata lambe os filhotes estimulando-os a defecar e urinar. Sem a mãe por perto, os gatinhos podem morrer pela falta desse estímulo.

Nesse caso, experimente umedecer um chumaço de algodão em água morna e passe com bastante suavidade na região anal do gatinho. Se não funcionar, procure imediatamente um veterinário.

Outra dica é colocar o gatinho numa caixa de papelão junto com uma garrafa pet com água morna e cobri-la com um pano. Isso fará com que o filhote fique quentinho e protegido.

Você poderá também levá-lo a algum pet shop que tenha espaço para colocar pets para adoção.

Essas medidas, com certeza, já irão ajudar bastante o gatinho.

Dicas ao deixar seu pet em casa!

Para que ele não se sinta tão sozinho…

Por Marisa De Lucia

Os animais de estimação, especialmente os cachorros e gatos, sofrem quando precisam ficar sozinhos em casa e muitos podem até desenvolver comportamentos compulsivos por conta da ansiedade.

cachorro-triste-1

Por isso, seguem algumas dicas para evitar que seu cão se estresse quando você estiver fora:

Não dê tchau, nem faça muita festa:

Para que seu animalzinho não fique muito triste quando você sair de casa, não dê tchau ao sair e evite fazer muita festa quando chegar. Ele precisa aceitar sua saída como algo normal, como uma rotina do dia a dia, para que não fique ansioso.

Faça com que ele se exercite antes de você sair:

Fazer com que ele caminhe antes de você sair também é uma boa medida, pois ele ficará relaxado e, com certeza, vai dormir enquanto você estiver fora.

Deixe com ele algo que ele gosta bastante:

Deixe sempre algum brinquedo interessante ou algo que ele goste bastante, como ossinhos para roer, assim ele se manterá ocupado.

Ligue a televisão:

Ligar a televisão para ele também é uma boa saída, pois ele não se sentirá tão só. Mas deixe em um canal com programação tranquila e que possa entretê-lo.

Não o deixe sozinho em dias festivos ou de tempestade:

Não o deixe sozinho em dias festivos e de comemorações tradicionais, que resultam em barulhos intensos, assim como durante tempestades, por conta dos barulhos estridentes dos trovões.

Evite deixá-lo sozinho com crianças:

Evite deixá-lo sozinho com criança, pois mesmo em brincadeiras eles podem acabar machucando um ao outro.

Florais podem ajudar:

No caso de cães muito ansiosos, os florais podem ajudar. Nesse caso, peça a ajuda de seu veterinário.

Afinal, eles sentem muito a nossa falta, não é mesmo?

Animais como Terapia

A Cinoterapia ajuda na superação de problemas

Por Marisa De Lucia

Com suas brincadeiras divertidas e uma amizade profunda, nem sempre encontrada entre os humanos, os animais de estimação conquistaram definitivamente o homem.

Young woman playing with dog on couch

Muito fiéis e bastante brincalhões, os cães divertem e fazem companhia, além de desempenharem um papel ainda mais nobre, ajudando nas perdas, por exemplo.

Diversos estudos com pessoas que perderam seus cônjuges mostram que os donos de animais de estimação estavam menos propensos à depressão e à sensação de isolamento. Sua saúde era melhor e exigia menos medicamentos.

A Cinoterapia, terapia assistida por cães, ajuda crianças, adolescentes e idosos a superarem seus problemas. O método utiliza o cão durante as sessões de análise, devidamente acompanhados de um profissional.

Médicos, psicólogos, assistentes sociais e veterinários acreditam na capacidade desses animais de despertar emoções comunicativas no ser humano, facilitando o processo de autoconhecimento.

A técnica é indicada, ainda, para o tratamento de comportamentos indesejados como medos e fobias, além de traumas.

Nesse tipo de situação, a criança tende a tornar-se retraída e o cão a auxilia a expressar sentimentos e emoções contidas.

O cão atua como “co-entrevistador”, ou seja, as perguntas são dirigidas à criança, de forma lúdica, em nome do cão, tornando o processo de entrevista bem mais tranquilo.

Abaixo, alguns dos benefícios do convívio com animais de estimação para crianças e adultos, tanto para nosso físico como para o emocional e o educacional:

Para o físico:

  • Ajuda a melhorar as habilidades motoras
  • Melhora a posição de equilíbrio
  • Faz com que adotemos alguns hábitos saudáveis como exercícios

Para o emocional:

  • Ajuda a aliviar o estresse e a solidão
  • Reduz a ansiedade e a depressão
  • Faz aumentar a autoestima
  • Promove a interação social
  • Aumenta as habilidades de atenção
  • Faz com que desenvolvamos habilidades de recreação

Para o educacional:

  • Faz aumentar o vocabulário
  • Ajuda na memória de longo ou curto prazo
  • Melhora a vontade de se envolver em uma atividade de grupo

Tudo de bom o que esses amiguinhos trazem para a nossa vida, não é mesmo?

Os pets também sofrem de estresse

E passam por mudanças comportamentais ou fisiológicas

Por Marisa De Lucia

Assim como seus donos, os pets também sofrem de estresse por várias razões.

De acordo com uma pesquisa sobre doenças relacionadas com estresse nos gatos domésticos, a maior fonte de estresse para estes animais é o relacionamento hostil com outros animais da casa.

pet-estresse

Tanto os gatos, como os cães precisam de um convívio harmonioso, especialmente com outros animais e crianças que, muitas vezes, podem perturbá-los com brincadeiras inconvenientes.

E é fácil saber se seu pet está estressado, pois eles passam por mudanças comportamentais ou até mesmo fisiológicas, dependendo do grau de estresse.

Além de alterar seu comportamento, podendo ficar manso demais ou raivosos, eles podem ter diarreias e automutilação.

Por isso, fique atento. Seu pet precisa, além de espaço, e cuidados com sua alimentação e necessidades, atenção, carinho e de um convívio harmonioso, lembrando que as alterações bruscas de temperatura também podem afetar os animais.

Os sintomas do estresse, além de apatia e agressividade, são aceleração na frequência cardíaca e na respiração, o que pode afeta se sistema imunológico.

Ao observar sintomas de estresse em seu pet, procure imediatamente um veterinário.

Afinal, eles são seres com as mesmas necessidades nossas, não é mesmo?

Ou, em certos casos, até mais!

Teu cachorro late demais?

Saiba como fazê-lo latir menos, se estiver exagerado

Por Marisa De Lucia

Uma grande preocupação de quem tem um cão em casa é que seu latido possa ser alguma manifestação de insatisfação ou que possa estar incomodando os “vizinhos”.

dog

Se o teu cachorro late muito, procure saber se ele não está triste ou frustrado com alguma coisa, antes de sair ralhando com ele.

É muito comum esquecermos que a voz do nosso cão é o seu latido e, muitas vezes, pode ser uma maneira de demonstração em querer proteger os donos ou a casa.

Ao pedir que ele pare de latir, use sempre a mesma palavra

Toda vez que quiser que seu cão pare de latir, procure usar apenas uma palavra, nunca frases longas, e fale com voz firme, mas nunca aos gritos.

Quando ele estiver latindo, nunca o agrida

Além de seu cachorro não entender porque está sendo agredido, seja com palavras ou palmadas, ele poderá ficar traumatizado, o que prejudicará a relação de vocês.

Nunca o deixe sozinho por muito tempo

Cachorros que ficam muito tempo sozinhos podem sofrer da síndrome da solidão e, com isso, poderão latir muito durante, principalmente, sua ausência incomodando demais os vizinhos. Por isso, evite deixá-lo sozinho o menor tempo possível.

Cuide de sua alimentação e de sua sede

Cachorro com fome ou com sede, com certeza, vai latir. Por isso, fique sempre atento se está alimentando-o adequadamente, e deixe água suficiente para ele. Contate seu veterinário, pois ele saberá qual a necessidadeda alimentação mais correta de seu cão de acordo com a raça e idade.

Procure distraí-lo com brinquedos, passeio e exercícios

Cachorros precisam de brincadeiras, passeios e exercícios. Procure tomar conhecimento de suas necessidades, para que se torne um cão tranquilo.

Quando ele parar de latir, gratifique-o com algum petisco

Uma boa forma de fazer com que o seu cão entenda que deve parar de latir é gratificá-lo com o petisco que ele mais gosta.

Converse com o seu veterinário

Um bom veterinário saberá orientá-lo como fazer para que seu cão pare de latir e, inclusive, poderá detectar se ele está com algum problema de saúde que esteja fazendo ele latir mais além do normal.

Contrate um bom adestrador

Se o problema persistir, o ideal é contratar um bom adestrador de cães.  Com certeza, o profissional saberá detectar e resolver o problema que ocorre com o seu cão.