Como educar seu cão a fazer suas necessidades

Confira algumas dicas interessantes

Por Marisa De Lucia

Adotar um cão é um ato de amor inigualável, mas é preciso alguns cuidados para fazer com que ele se adapte ao novo lar, principalmente, se ele já não é mais um filhote.

Isto porque os machos têm instinto territorialista e poucos se acostumam às regras da casa ou aos hábitos do dono.

dog-educando.jpg

Tente levé-lo para passear duas vezes por dia, num horário fixo.  Na maioria das vezes, ele vai esperar esses momentos para fazer suas necessidades.

E não se esqueça de levar um coletor de fezes para garantir praticidade e higiene no passeio com o seu cão.

Outra dica é controlar sua alimentação. Não deixe a ração disponível o dia todo. Assim, o organismo dele irá se regular: terá hora para comer e hora para fazer xixi ou cocô.

Quando seu cão fizer as necessidades no lugar certo, faça carinho, dê algum mimo ou uma guloseima. Com isso, ele ficará feliz e compreenderá que seu ato foi bem aceito.

Já, quando ele estiver fazendo no lugar errado, interrompa-o e leve-o ao lugar certo, mas repreenda-o com palavras encorajadoras. No entanto, se já passou algum tempo, de nada adianta brigar com ele, pois ele não entenderá.

produtos-de-limpeza.JPG

Procure limpar o local inadequado com produtos específicos para limpeza de sujeira animal, pois se eles sentirem o cheiro retornarão ao erro.

No É o Bicho você encontra produtos de excelente qualidade que vão te ajudar!

E lembre-se: nunca prenda seu cão no local onde ele faz suas necessidades, pois se ele associar este local ao fato de ficar preso, certamente, não vai querer voltar lá.

E, lembre-se, educar com carinho sempre dá melhores resultados!

 

Anúncios

Dicas para cuidar da saúde do seu pet

Para evitar que algumas doenças surjam e se agravem

Por Marisa De Lucia

Está mais do que provado que prevenir é o melhor remédio. Por isso, todo cuidado é pouco para evitar que uma doença surja e se alastre em seu pet, não é mesmo?

cat-dog

Fique atento a algumas dicas:

Duas vezes por ano, geralmente quando muda a estação, é normal que caiam alguns pelos do seu cão, mas em pequena quantidade. Caso, você perceba que estão surgindo falhas, procure um veterinário, pois pode se tratar de alguma doença como sarnas, micoses ou alterações hormonais.

Hepatite, leptospirose e cinomose são doenças que podem ser evitadas com a aplicação das vacinas V-8 ou V-10. Por isso, procure um veterinário e mantenha a vacinação de seu pet em dia.

Outra doença grave, que não tem cura e pode matar seu cão ou gato, é a raiva, que é transmitida por meio de lambidas, arranhões e mordidas. A melhor solução é vacinar seu cão ou gato todos os anos.

O hipertireoidismo, ou seja, a redução da produção dos hormônios da tireoide, é uma doença comum nos cães, entre 4 e 10 anos, e rara nos gatos. Os principais sintomas são queda dos pelos e obesidade. Se o seu pet apresentar algum desses sintomas, leve-o ao veterinário, pois diagnóstico é feito por meio de exame de sangue.

Se o seu cão ou gato começar a coçar muito o ouvido, a ponto de se irritar e ficar balançando a cabeça, ele pode estar com sarna de ouvido que, inclusive, pode causar dor e uma secreção escura. Nesse caso, procure imediatamente o veterinário.

Os cães de idade mais avançada costumam se tornar sistemáticos e cheios de manias. Observe bem seus sinais, pois nessa fase é comum surgirem algumas doenças como nefrites, tumores, cataratas e insuficiência do coração.

Certifique-se de que ele está com as vacinas em dia, pois provavelmente ele poderá encontrar com outros animaizinhos que possam ter alguma doença.

Outro ponto muito importante é aplicar produtos antipulgas, anticarrapatos, antivermes e antifungos para evitar que estes males se instalem nele. Por exemplo, uma pulga pode expelir cerca de 3.000 ovos. Imagine, depois, o trabalho para exterminá-las completamente! Portanto, é melhor prevenir, correto?

Além de consultas ao veterinário, caso aquela coceira ou outro problema custe a passar, os animais também precisam de um check-up anual.

Finalmente, no dia a dia, lembre-se de:

  • No Verão, não levá-lo para passear debaixo de sol forte, entre os horários de 10h e 17h.
  • Antes de deixá-lo tocar as patinhas no chão, experimente a sensação térmica com os seus próprios pés por alguns segundos, para sentir se ele irá suportar a temperatura.
  • Não deixe que ele caminhe ou corra muito.
  • Nunca o deixe preso no interior do carro, mesmo com os vidros abertos.
  • Leve-o para tomar banho e tosar os pelos para suportar o calor.
  • Para manter a saúde da pelagem, escove-o todos os dias com escova apropriada para pets.
  • Deixe sempre muita água fresca e filtrada nas vasilhas, lavando-as e trocando a água constantemente.
  • Dê a ele ração de boa qualidade, pois é balanceada e possui vitaminas e minerais suficientes para uma boa manutenção do organismo, inclusive da pele.
  • Se teu pet fica fora da casa, providencie uma casinha ou canil protegido, para que ele não sofra com o mau tempo, seja no sol ou chuva.
  • Se for sair e deixá-lo sozinho, certifique-se de que o ambiente esteja bem ventilado.
  • Brinquedos e muito carinho, também são essenciais em qualquer época do ano!

Afinal, nossos pets merecem tudo de bom e de melhor, não é mesmo?

Como evitar o estresse do seu pet nas festas de Natal e Réveillon

Dicas para que você e eles possam ter uma noite tranquila

Por Marisa De Lucia

Todo ano é a mesma coisa! Muito barulho de fogos e nossos pets amedrontados.

natal-pets

Muitas pessoas nem mesmo saem para não deixá-los sozinhos, preferindo preparar a ceia do Natal e do Réveillon em suas casas.

Embora aqui em São Paulo, a exemplo da Avenida Paulista, e em algumas cidades como Florianópolis algumas medidas tenham sido tomadas para minimizar o barulho e evitar o sofrimento deles, com certeza, ainda teremos problemas!

Por isso, seguem algumas dicas para que a sua passagem de ano seja tranquila com seus pets.

  • Nas festas com muito convidados, é fundamental ficar atento ao que oferecem para ele lambiscar e também a objetos que normalmente acabam caindo ao chão. Nesta época, registra-se um número maior de ingestão de corpos estranhos como enfeites, embalagens plásticas e palitos, entre outros.
  • Na ceia de Ano Novo é comum ter alimentos gordurosos e muito temperados, que podem causar alterações gastrointestinais como vômito, diarreia e até pancreatite, que é uma doença potencialmente grave. Intoxicações causadas por chocolate também aumentam nesta época do ano.
  • O barulho dos fogos de artifício, de muitas pessoas conversando e de música em volume muito alto podem deixá-lo muito assustado e ao tentar fugir ou se esconder por proteção, ele pode se machucar gravemente. Alguns podem até mesmo atacar algum convidado como defesa.
  • Pets com doenças crônicas do coração, pulmão e cerebrais podem ter falta de ar ou até convulsões, precisando ser socorridos imediatamente.
  • Muitos “amiguinhos”, principalmente os filhotes, costumam ingerir ou se ferir acidentalmente com os enfeites da árvore de Natal, como bolinhas, elásticos e até mesmo papéis de presente, que podem gerar obstrução ou perfuração no sistema digestivo.
  • Os cuidados com filhotes devem ser redobrados, pois eles que gostam de mastigar fios e podem tomar choques graves.
  • Se for passar o Réveillon fora da sua cidade e quer levar seu pet no carro, não tem problema, mas é preciso tomar algumas precauções como deixá-lo em jejum por pelo menos duas horas antes da viagem e em viagens longas fazer paradas para que o animal possa fazer suas necessidades e beber água. E lembre-se: nunca deixe seu pet fechado no carro.

O ideal é evitar levar seu pet em festas agitadas. Procure deixá-lo em um local da casa seguro, com pouco barulho, sem objetos ou mobília que possam machucá-lo no caso de tentar se esconder por medo dos barulhos dos fogos de artifícios, por exemplo.

Dessa forma, com certeza, ele passará uma noite tranquila e entrará em 2015 bem relax!

E você poderá aproveitar a festa até o final, sem preocupações.

Feliz 2019!!!

Como escolher roupinhas para o seu pet

Será que elas servem só para enfeitar ou eles precisam mesmo?

Por Marisa De Lucia

Quem tem pets sabe quanto estes seres especiais se assemelham ao ser humano e, por isso, também precisam de cuidados especiais.

pets-roupas

Muitas pessoas tratam seus pets como crianças e até mesmo as roupinhas já entraram para a lista de compras deles. Mas será que os pets precisam mesmo usar roupinhas ou elas só servem para enfeitá-los?

Nem todo mundo sabe, mas muitos pets precisam sim se proteger do frio e a necessidade difere de acordo com a pelagem e a gordura do animalzinho. Os cães são mais fáceis de aceitar as roupinhas do que os gatos, que são mais ariscos, e aconselha a não contrariar o “amiguinho” para que ele não se sinta incomodado.

Cães como os akitas e os huskies siberianos, provenientes de locais gelados, já possuem pelagem apropriada para enfrentar climas frios e, por isso, sofrem com climas quentes. Estes não precisam de roupas, tanto que muitos não gostam de ficar vestidos.

Mas para quem ama enfeitar seu pet, a boa notícia é que, assim como para os humanos, são confeccionadas também roupinhas leves para o Verão e de todos os modelos e cores para deixar nosso pet ainda mais lindo. O ideal é ficarmos sempre atentos à temperatura ambiente, pois assim como não gostamos de passar calor com muita roupa, nossos pets também não gostam.

Quanto ao tamanho e à qualidade das roupinhas, deve-se levar em conta não só a beleza da roupinha, mas se ela é confortável para o tamanho de seu pet, se é feita com tecidos apropriados para a estação do ano e, ainda, se tem abertura adequada para não interferir quando o animalzinho faz suas necessidades fisiológicas.

Já para os pets que têm infecções de pele o cuidado deve ser bem maior, por isso, não é indicado colocar a roupinha sem antes observar todos esses detalhes e, claro, qualquer dúvida peça ajuda ao seu veterinário. No caso de animais alérgicos, temos que ficar atentos aos seguintes sintomas como vermelhidão, coceira, crostas e até mesmo um simples desconforto que, sem dúvida, deixará o animalzinho desassossegado.

Outra observação muito importante é que alguns cãezinhos, ao utilizarem roupinhas por muito tempo, ficam com os pelos embolados, sendo necessária a tosa total ou uma escovação que pode judiar deles. Por isso, é fundamental tirar sua roupinha pelo menos uma vez por dia e escovar bem para evitar que os pelos fiquem embaraçados.

O É o Bicho trabalha com roupinhas de qualidade e uma variedade incrível de modelos e cores para todas as estações do ano e até para datas especiais.

Vale a pena passar lá e conferir!

Cuidados ao escolher seu animalzinho de estimação

Será necessário amor, paciência, espaço e outras condições para criá-lo

Por Marisa De Lucia

Antes de decidir pela compra de um animalzinho de estimação, pense bem antes se realmente você ama e tem paciência com animais, pois, ele ficará por muitos anos em sua vida e precisará de cuidados, assim como nós humanos.

caozinho-e-gatinho

Muitas pessoas acabam comprando animais de estimação para seus filhos só porque as crianças ficam encantadas com sua beleza ou graça.

Mas se esquecem que um gatinho ou um cãozinho vive, em média, 13 anos e precisa não só de cuidados especiais como de amor e carinho.

Outros já preferem animais mais exóticos, não tão comuns em um lar. Mas seja qual for o animalzinho, você deve estar certo de que tem as condições necessárias para sua saúde e bem-estar, além de todo carinho e conforto como nós seres humanos precisamos.

macaco-prego.jpg

Mas, com o passar do tempo, aquele macaquinho ou aquele furão que “era” tão engraçadinho pode começar a “dar trabalho”.

furao2

Todos parecem interessantes no início, mas são poucas as pessoas com amor, conhecimento, paciência e espaço, condições que são necessárias para cuidar do animalzinho.

Aquela divertida tartaruguinha, com o tempo vira um tartarugão que, além de não caber mais no aquário, vai durar por muitos anos.

A mesma situação ocorre com araras, cobras, lagartos, camundongos, furões, macacos e outros bichos estranhos ao lar.

tartaruga-aqua

A que costuma dar mais trabalho é a tartaruga tigre d’água, aquela com barriga e pernas rajadas de amarelo. Elas geralmente são adquiridas com apenas 5 cm, mas com o tempo podem passar dos 30 cm, exigindo a ampliação do espaço que ela ocupa.

Com isso, os donos que querem se livrar dos bichos e não sabem como, começam a procurar por zoológicos, criadouros e centros de recuperação, hoje superlotados desses animaizinhos.

No caso dos jabutis, mantidos em quintais, muitas pessoas se mudam para apartamentos e não têm onde colocar o animal. Isso quando as crianças não se cansam do réptil.

jabuti

No Departamento de Fauna da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, no Parque do Ibirapuera em São Paulo, pessoas e autoridades ligam quase que diariamente para doar ou alocar animais. Das milhares de ligações, a maioria é para tartarugas.

Na ânsia de se livrar, muitas pessoas simplesmente abandonam os animais em espaços públicos. No próprio Parque Ibirapuera, já foram achados: saguis, macacos-prego, iguanas, furões e coelhos.

O telefone 156 da Prefeitura recebe diariamente um grande número de ligações sobre animais encontrados abandonados pelas ruas de São Paulo. Um verdadeiro absurdo! O mais agravante é que muitos dos animais acabam comendo as próprias fezes, quando abandonados por seus proprietários que viajam e os deixam sem alimentação.

Pessoas que abandonam seus animaizinhos de estimação simplesmente porque eles já não são tão “divertidos” como quando eram pequenos, ou porque começaram a “dar trabalho”, com certeza, não têm coração. Quem ama seu animalzinho sabe que eles são verdadeiros filhos.

Por isso, quem quiser se desfazer de um animal deve procurar o Ibama (0800-61-8080) ou a Polícia Militar Ambiental (0800-11-3560).

O que muitas pessoas ainda não sabem é que doações não são processadas criminalmente.

Tudo de bom, não é mesmo?

 

Holanda sem animais abandonados!

Vamos nos esforçar para isto acontecer aqui no Brasil e  no resto do mundo!

Por Marisa De Lucia

Por falta de medidas que combatam o crime de abandonar animais nas ruas, estima-se que hoje temos em todo o mundo, aproximadamente, 600 milhões de cachorros abandonados!

animal-de-rua

Infelizmente, cada vez mais nos deparamos com a triste cena de um animalzinho, principalmente cão, sofrendo com a fome, a falta de cuidados essenciais e, especialmente, com a falta de carinho.

Mas a primeira notícia boa, nesse sentido, é que a Holanda acaba de se tornar o primeiro país a não ter animais abandonados. E o melhor: sem tê-los apreendidos em canis ou sacrificado.

Mas não pense que não foram precisos esforços e atitude para mudar este cenário!

Esta mudança significativa se deu graças a um excelente plano do governo, que tem como meta a aplicação rigorosa de leis para qualquer pessoa que abandonar um animal com multas altíssimas e, ainda, a realização de campanhas de conscientização da população, castração e, também, cobrança de taxas altas de impostos para quem optar por comprar cães de raça.

Estas medidas, com certeza, fizeram a diferença. Afinal, quem quiser abandonar um animal vai pensar duas vezes antes de fazê-lo, não é mesmo?

Quem sabe um dia consigamos isto no Brasil e no resto do mundo?

Mas não fiquemos só esperando acontecer, façamos o que for possível para ajuda a combater este mal que corta o coração e traz consequencias tão drásticas para nossos anjos de quatro patas!

Castrar ou não o meu Pet?

Confira alguns benefícios da castração

Por Marisa De Lucia

A castração é uma cirurgia simples que, dependendo da idade do animal, pode evitar doenças como tumores prostáticos, mamários e uterinos.

cat-dog001

Outro benefício da castração é que os animais castrados têm menor probabilidade de desenvolver um comportamento agressivo.

O procedimento para castrar um pet é seguro e bem simples. Nos machos, são removidos os testículos através de uma incisão, que fica bem discreta. Nas fêmeas, são retirados o útero e ovários.

Confira alguns benefícios da castração:

  • Diminui as chances de transmissão de doenças e ameniza o temperamento dos pets
  • Evita fugas
  • Evita aquele constrangimento de cães “agarrando” em pernas ou braços de visitas
  • Acaba com a marcação do território fazendo xixi fora do lugar
  • Diminui muito a agressividade motivada por excitação sexual constante
  • Evita a gravidez psicológica e suas consequências como infecção das mamas
  • Impede o surgimento de tumores testiculares
  • Evita o aumento do número de animais de rua

Por isso, vale a pena considerar este assunto.

Mas, lembre-se que cada caso deve ter a avaliação e orientação de um médico veterinário.