Doenças dermatológicas em cães e gatos

Muitas são bem semelhantes e podem confundir

Por Marisa De Lucia

As doenças dermatológicas em cães e gatos são muito semelhantes entre si, quanto ao aspecto das lesões, e podem confundir.

Por isso, é fundamental que ela seja diagnosticada por um veterinário com vivência em dermatologia, para evitar submeter o animal a desacertos que podem agravar ainda mais o quadro clínico.

cachorro-e-gato-juntos

Nos cães, as doenças dermatológicas mais comuns são escabiose, conhecida como sarna, causada pelo ácaro Sarcopte, que produz lesões avermelhadas de aproximadamente um centímetro e muita coceira e é transmissível de um animal para o outro.

A sarna causa a perda de pelos, descamações e crostas na cabeça, orelhas e patas e, se não for tratada, alastra-se para todo o corpo.

No gato, a sarna é causada por outro ácaro, o Notroedis cati. Os sintomas são praticamente os mesmos que nos cães, no entanto, as lesões surgem, principalmente, na cabeça e nas orelhas.

Outra doença dermatológica é a demodicose ou “sarna negra”, causada por outro agente, mas que não é transmissível entre animais, somente da mãe para o filhote. Enquanto a escabiose pode ser tratada, a sarna negra não tem cura, apenas pode ser controlada.

Já as piodermites, são infecções cutâneas primárias causadas por bactérias piogênicas, com ou sem a formação de pus, e as disqueratoses são distúrbios ou alterações no processo de queratinização da pele.

Nos gatos, temos com muita frequência as dermatofitoses, conhecidas como micoses superficiais e as otoacaríases ou “sarna de orelha” e escabiose e alergias.

Para saber se seu pet está com algum problema dermatológico, escove-o diariamente para poder prestar mais atenção à sua pele. Os principais indícios são: perda de pelo, descamação da pele, oleosidade e mau cheiro, coceira excessiva, mudanças na cor do pelo e da pele, lesões salientes ou úlceras que sangram facilmente.

Entre os vários tipos de alergias, estão a alergia de cães ou gatos por

pulga, que deve ser combatida por meio do uso de pulicidas tópicos para combater a infestação no animal e, também, do uso de inseticidas ambientais para combater a proliferação no ambiente.

O mercado disponibiliza hoje uma gama muito ampla de produtos eficazes e seguros para o combate da pulga, mas qualquer um deles deve sempre ser prescrito por um médico veterinário, que saberá indicar os cuidados necessários antes, durante e após a aplicação.

Além de desencadear alergia, a pulga pode transmitir doenças como verminose e anemia infecciosa.

Por isso, todo cuidado é pouco!

Anúncios

Como escovar os dentes do seu pet

Para evitar o tártaro e o mau hálito

Por Marisa De Lucia

A falta de limpeza dos dentes dos cães pode provocar não só aquele desagradável mau hálito, mas também o tártaro, uma doença que provoca problemas na gengiva, queda de dentes e Infecções graves podendo até matar, se não for tratada.

pet-escovar-dentes

Escovar os dentes do seu pet é fundamental por vários motivos. Além de melhorar seu hálito e evitar o tártaro, trata-se de uma prática de liderança sobre o cão, o que faz com que se torne submisso e passe a obedecê-lo.

Seguem, portanto, algumas dicas de como escovar os dentes do seu cão:

∙ Deixe para escovar os dentes do seu pet quando ele estiver bem relaxado e procure criar uma rotina. O ideal é escovar todos os dias, mas se a boca estiver saudável, três vezes por semana já é suficiente.

∙ Use escova e pasta de dentes para cães, pois elas vêm em sabores agradáveis como carne ou frango. Nunca use a sua pasta de dentes, pois ela contém ingredientes que podem ferir o estômago do seu pet.

∙ Fique sempre no mesmo local, que seja agradável para você se posicionar à frente ou ao lado dele. Quando ele estiver ansioso, adie a escovação.

escovando-dentinho

∙ Comece passando os dedos na gengiva dele sem pasta, logo depois com a pasta, antes de começar a escovar com a escova de dente. Deixe que ele dê umas lambidinhas para se acostumar com o sabor.

∙ Se perceber que ele não gostou do sabor da pasta de dentes, troque por outro até acertar um que ele goste.

∙ Procure escovar o mais suavemente possível em pequenos círculos, indo de cima para baixo, por uns 2 minutos pelo menos. Ser notar um pequeno sangramento, não se assuste, pois é normal. Mas caso continue, sem que escove forte, é bom consultar um veterinário.

∙ Mantenha o bom humor e faça brincadeiras para deixá-lo relaxado.

∙ Ao terminar, ofereça sempre uma recompensa, que pode ser uma guloseima ou seu brinquedo favorito. Assim ele irá associar a escovação de seus dentes com algo agradável.

Fique atento, pois doenças digestivas também podem causar problemas em sua dentição.

Por isso, leve-o periodicamente ao veterinário para garantir sua perfeita saúde.

Como preparar um ambiente para seu gato

Para conviver feliz e harmonioso com ele

Por Marisa De Lucia

Quando você traz um gato para casa, deve tomar certos cuidados com o ambiente.

Afinal, é comum o gato se sentir assustado em um lugar desconhecido e, por isso, pode ficar agressivo e até mesmo tentar fugir.

gato-casa15

O ideal é deixar ele, primeiramente, se acostumar em apenas um cômodo da casa e só depois que estiver adaptado deve ter acesso aos demais espaços.

Será preciso também já ter em mãos a ração, um arranhador, para que ele não acabe com seus móveis, e sempre posicionar sua cama e as vasilhas de água e comida do lado oposto ao da bandeja sanitária.

Confira algumas dicas importantes:

Arrumando sua cama:

É preciso ter em mente que os gatos podem dormir por até 18 horas por dia, por isso é importante que você crie condições favoráveis para seu sono, não é mesmo?

Escolha um cantinho aconchegante, de preferência, ensolarado e providencie uma cama de material macio e lavável.

Mas se você quiser que seu gato durma na sua cama, fique atento, pois os gatos são notívagos e, portanto, ele poderá interromper seu sono. Nesse caso, tente colocá-lo delicadamente no chão e nunca fique dando atenção, pois, do contrário, adeus noites de sono!

Preparando sua bandeja sanitária:

Mesmo que você tenha apenas um gato em casa, é necessário ter pelo menos duas bandejas sanitárias, para facilitar seu acesso pela casa. O comprimento da bandeja sanitária deve ser de quase duas vezes maior que o gato, e escolha bem o local onde irá colocá-la, pois não deve trocá-la de lugar.

Coloque uns 05 (cinco) centímetros de areia ou granulado sanitário na bandeja de seu gato. Existem também algumas opções que agradam bastante os gatos que são o milho aromatizado e o trigo, entre outros tipos de granulados.

Os dejetos da bandeja sanitária devem ser retirados duas vezes ao dia e o granulado trocado completamente uma vez por semana, pois seu gato, com certeza, preferirá usar uma bandeja sanitária bem limpa. Lave sempre a bandeja com um detergente suave antes de renovar o granulado.

Não interrompa seu gato quando ele estiver usando a bandeja sanitária. Caso ele esteja fazendo suas necessidades fora dela com muita frequência, procure um veterinário, pois ele pode estar com algum problema de saúde.

Escolhendo seus brinquedos:

Brinquedos para gatos são muito fáceis de encontrar e já existe até jogos para seu gato brincar no tablet ou celular! Os gatos gostam muito de bolinhas com guizo, que fazem um barulho que eles adoram, varinhas com um bichinho de pelúcia na ponta, que simula um passarinho, ratinhos que os deixam enlouquecidos e até os brinquedos que contêm catnip, uma erva que os acalma.

Outra boa opção é o Cat Park que, além de melhorar sua concentração, sua coordenação motora e o raciocínio, auxilia no tratamento de distúrbios comportamentais como hiperatividade, agressividade e ansiedade por conta de separação, decorrentes da falta de atividade física e mental.

Mas lembre-se sempre de ter um local para ele arranhar. Nos pet shops você encontra modelos incríveis de arranhadores para que eles não acabem com os móveis de sua casa.

Cuidando de seu transporte:

Para passear, viajar ou levar seu gato ao veterinário, a maneira mais confortável e segura é dentro de uma caixa de transporte. Mas, antes de sair com ele, espere um tempo para que ele se acostume à caixa. É interessante colocar alguns brinquedos dele dentro dela, transformando-a em um espaço bem aconchegante, que dê até para ele tirar uma boa soneca.

Prevenindo sua saúde:

Dê bastante água limpa e fresca, pois se não ele pode apresentar problemas nos rins. Cuide para que sua alimentação seja saudável e balanceada, de acordo com sua faixa etária e mantenha sempre a vacinação de seu gato em dia. Visitar o veterinário periodicamente, também, ajuda muito a prevenir certos problemas e doenças.

Identificando seu gato:

O ideal é ter uma placa de identificação com informações cadastrais como número de registro, vacinação, telefone etc. presa à sua coleira que deve ter uma folga de dois dedos, mas também não muito folgada, para que não deslize pelo seu pescoço.

Informe-se com seu veterinário sobre o implante de um microchip para ajudá-lo a localizar seu gato caso ele se perca.

Todo cuidado é pouco, afinal, o gato é capaz de estranhar mais o ambiente do que os cães.

Cuidados com a alimentação do seu Pet

Para preservar a saúde e o bem-estar dele

Por Marisa De Lucia

Muita gente gosta de oferecer guloseimas para seu pet, ainda mais quando eles fazem aquela cara de pidão, não é mesmo?

Mas o que nem todo mundo sabe é que pode estar prejudicando sua saúde.

Germany, Dusseldorf, Young woman with dog eating icecream

Isso porque as necessidades nutricionais dos animais de estimação são diferentes das dos humanos e muitos alimentos como chocolate, que possui uma substância que é tóxica para eles, pode até matar o seu pet.

Quando eles estão em fase de amamentação, por exemplo, não conseguem digerir carboidratos. Por isso, o pão, um dos produtos repletos dessa substância, está inteiramente proibido.

A melhor alimentação é uma ração de boa qualidade, pois ela tem os nutrientes balanceados para cada fase da vida.

Já para presenteá-los quando fazem algo correto, o ideal são as frutas e hortaliças e, ainda, os petiscos apropriados para pets, mas que não contenham muito sódio em sua formulação. Nesse caso, procure por marcas conceituadas no mercado.

Muitos pets se deliciam com maçã, pera, melancia, mamão, uva, cenoura, tomate e brócolis, que estão liberados e têm nutrientes, mas não dispensam a ração.

Por isso, fique atento com a alimentação do seu pet e cuide de deixar água fresca e limpa ao alcance dele o dia todo.

Lembre-se que uma alimentação inadequada causa doenças e, certamente, aumenta as despesas com veterinários e remédios.

Plantas que prejudicam a saúde do seu pet

Confira algumas delas e faça ele passar longe…

Por Marisa De Lucia

Já está mais que provado que os pets gostam de plantas!

Mas, você sabia que algumas delas podem oferecer riscos ao seu animalzinho de estimação?

pets-plantas2

Os problemas vão desde uma simples alteração comportamental, fraqueza, dermatite, irritação das mucosas, irritação gastrointestinal, vômito, diarreia, excesso de salivação e até diminuição dos batimentos cardíacos.

Por isso, fique bem atento para saber por onde seu pet anda…

Confira esta lista com as plantas mais perigosas para o seu pet:

Comigo-ninguém-pode

Espada de São Jorge

Margarida

Hortênsia

Copo de Leite

Lírio da Paz

Azaleias

Antúrio

Hera

Flor-da-fortuna

Coroa de Cristo

Onze Horas

Violeta

Atenção! Todo cuidado é pouco!

Comportamento estranho nos pets

Saiba algumas das causas e o que fazer em certos casos

Por Marisa De Lucia

Se você notar que seu cão está com um comportamento estranho, fique atento, pois essa mudança em suas atitudes pode ser derivada de fatores psicológicos, ambientais e alérgenos, entre outros.

cao-triste

Uma das principais causas que desencadeiam comportamentos compulsivos em cães é o estresse.

Os cães que ficam presos a correntes ou num canil, ou perdem o contato com algum de seus familiares, tendem a sofrer muito mais.

Mas mesmo os cães que vivem soltos, no convívio familiar, podem ficar estressados se não vivenciarem o mundo exterior. Eles precisam ver outras pessoas e outros animais para ficarem estáveis emocionalmente.

A primeira coisa a fazer, se o seu cachorro estiver tendo um comportamento compulsivo, é mudar sua rotina.  Passe a levá-los a passear, estimule-o a fazer exercícios e exagere nos carinhos para ele se sentir amado.

Mas, lembre-se de não fazer nada na hora que ele está tendo esse comportamento compulsivo. Espere o momento em que ele esteja tranquilo para iniciar atividades recreativas com ele.

Algumas vezes, o comportamento compulsivo de seu cachorro pode ser decorrente de um desequilíbrio químico dos neurotransmissores cerebrais. Nesse caso, além de atividades como caminhada, natação e brincadeiras, o veterinário poderá indicar medicamentos que podem ser necessários no tratamento.

A mudança da dieta regular também pode ser recomendada para tratar alguns casos de comportamento compulsivo em cães.

Por isso, fique atento aos sinais de seu cão e procure imediatamente um especialista.

Causas das coceiras

Confira algumas e saiba como lidar com elas

Edição: Marisa De Lucia

Todo cão acaba se coçando alguma vez no dia.

Procure observar e, se esta coceira não for constante, relaxe! Afinal, até nós humanos nos coçamos de vez em quando, não é mesmo?

coceiras-caezinhos.jpg

No entanto, se ele se coça várias vezes no dia e no mesmo local pode estar ocorrendo algum problema. Principalmente se você notar uma vermelhidão ou ferida.

É fundamental, nesse caso, levá-lo a um veterinário. Mas, antes, você pode observar o que pode estar causando esta coceira e tomar algumas medidas.

Confira algumas das causas de coceiras em cães:

ESTRESSE

Muitas vezes a coceira de seu cão pode estar ocorrendo por causa de estresse. Nesse caso, deve-se observar se ele não está sofrendo com isso.

ALERGIA

A causa mais frequente de coceiras em cães é a alergia, que se dá por vários fatores como:

  • Dermatite

Devido ao contato com substâncias químicas, por exemplo, o desinfetante com o qual você limpa o chão da casa.

  • Alimento

Alguns alimentos ou mesmo a mudança na ração pode causar coceira em seu cão.

  • Planta

Algumas plantas podem provocar alergias e outras, tóxicas, podem até causar maiores complicações.

Confira algumas delas na nossa matéria: portalpetshow.com.br/?p=515

  • Pulga

Geralmente, aplicamos antipulgas em nosso cão quando ele já está infestado. Mas o correto é fazer uma aplicação frequente para evitá-las.

  • Carrapato

A picada do carrapato pode acarretar doenças mais sérias, daí a necessidade de prevenção constante.

SARNA

Queda de pelo em algumas regiões do corpo do cão pode ser sarna. Nesse caso, o veterinário poderá indicar algum shampoo apropriado ou medicação.

INFECÇÃO

Alguma infecção na pele do cão pode, também, causar coceira. Uma delas é a Piodermite, que causa lesões na pele e exige tratamento com antibiótico específico para cachorro.

Por isso, fique atento e leve seu cão ao veterinário se notar que a coceira não passar com algumas medidas tomadas.